sábado, 30 de junho de 2012

Rua D'Arte vai ao CICAS




foto: JuninhoSendro
No dia 16/06, os artistas/educadores do Coletivo Fora de Frequência foram ao CICAS para ministrar mais uma das oficinas do projeto Rua D'Arte.
Os educadores iniciaram a oficina procurando instigar reflexões sobre o espaço explicando que o ato de intervir não é só pintar paredes. Mas tecer diálogos e relações entre os espaços urbanos e as pessoas a partir do ato artístico, significando e re-significando a cidade e seus espaços. Logo em seguida, foram apresentados aos educandos o estêncil com a explicação e contextualização de seu uso e funcionamento. Depois disso, partimos para a prática com os educandos intervindo e recebendo orientações técnicas sobre o uso do spray, quando  usar mais ou menos pressão, os tipos de caps (pinos) e suas funções.




sábado, 23 de junho de 2012

Mural Coletivo



Depois de diversos processos criativos de experimentação, após 5 meses de oficinas, os(as) educandos(as) aplicaram os conhecimentos adquiridos na prática em produção de mural nas proximidades do Espaço Cultural Santa Josefina, uma das sedes do Bloco do Beco.
Logo após, a saída cultural ao Beco do Batman, aproveitando a inspiração e empolgação dos(as) educandos(as) motivadas pela vivencia que tiveram diante de tantas intervenções de qualidade, iniciamos a produção do mural. 
Os(As) educandos(as) experimentaram todo o processo criativo desde a concepção à intervenção e finalização do mural.

Veja mais aqui




quarta-feira, 20 de junho de 2012

Crianças e Adolescentes do Jd. Ibirapuera visitam o Beco do Batman




Depois da enriquecedora experiência de promover, a crianças e adolescentes da região do Jd. Ângela,  visitas a espaços urbanos que receberam e/ou recebem intervenções artísticas. A proposta é retomada em 2012. E no mês de Abril, crianças e adolescentes do Jd. Ibirapuera zona sul de São Paulo foram ao Beco do Batman na Vila Madalena, um dos pontos referenciais do graffiti brasileiro em São Paulo. Em saída cultural promovida pela parceria entre a Associação Bloco do Beco e o Coletivo Fora de Frequência.
A proposta de saídas culturais para apreciação, contextualização e reflexão a partir do contato direto com a cidade e a arte de rua, nasce como parte das oficinas culturais do projeto Rua D'Arte idealizado pelo Coletivo Fora de Frequência. 
De volta ao Beco do Batman, diante de um acervo tão rico e diversificado com vários artistas, vertentes e estilos da arte de rua os(as) educadores(as) procuram instigar o olhar através de problematizações diante de cada mural. O que possibilita aos(as) educandos(as) identificarem similaridades e diferenças entre artistas, suas propostas estéticas e vertentes. Impressionados com tudo que viram, depois de pouco tempo os(as) educandos(as) já conseguiam identificar o estilo estético de cada artista.
Após uma pequena parada para o lanche o grupo deixou o Beco do Batman em direção ao Beco do Aprendiz aproveitando a proximidade entre um e outro para enriquecer ainda mais o passeio.
Ao final do passeio, após tanta caminhada os(as) educandos(as) se demonstravam cansados, mas satisfeitos com a vivência.











quinta-feira, 31 de maio de 2012

Resumo das Oficinas de Maio





Neste mês foram exibidos curtas documentários da série Sampa Graffiti com entrevistas e intervenções de diversos artistas de rua. Possibilitando a apreciação e análise de diferentes propostas conceituais e, seus respectivos, processos criativos. Esses vídeos foram exibidos com o intuito de ampliar os horizontes e repertório dos(as) educandos(as), ao que se refere, as variedades de técnicas, inclusive as inventivas,  e possibilidades do Graffiti.
Os murais produzidos no mês de Abril receberam os últimos retoques e foram finalizados. E outro iniciado com cores e fundo preparados pelos(as) educandos(as).
Além disso, recebemos a visita de dois escritores de rua, Grego e Her, durante as oficinas. O que propiciou aos educandos(as) o contato direto e troca com outros artistas, além do educador, enriquecendo o processo de ensino/aprendizagem. Durante a visita, Grego e Her se demonstraram estarem a vontade com o ambiente e os(as) educandos(as) e acabaram ministrando uma das oficinas. Onde deram orientações e dicas técnicas a partir de exercícios práticos de elementos da linguagem visual.



sexta-feira, 30 de março de 2012

Graffiti no Bloco do Beco





Esta oficina foi ministrada no Bloco do Beco na sede do Jd. Erundina. Neste dia os(as) educandos(as) experimentaram diversas técnicas passando pelo estêncil, spray a mão livre e o pincel atômico.



Para ver + sobre as oficinas ministradas no ano de 2012 clique aqui.




















terça-feira, 20 de março de 2012

Graffiti: Intervenção a mão Livre




A proposta desta atividade é que os(as) educandos(as) façam intervenção no espaço público construindo um diálogo com o mesmo colocando em prática algumas das técnicas estudadas e desenvolvendo outras. A intervenção é feita a mão livre se valendo do Spray e suas técnicas. Os educadores procuram apontar a necessidade de reflexão do espaço, da realidade local e seus acontecimentos antes da ação. Mas, deixando claro que alguns artistas optam e se valem da espontaneidade e acaso em suas intervenções. Quando a maioria dos(as) educandos(as) são crianças, inevitavelmente, a espontaneidade se torna dominante nas intervenções.
A maior dificuldade é fazer com que os(as) educandos(as) se conscientizem da relação entre eles e a população local, da qual fazem parte, e o espaço no qual intervêm, e expressem isso esteticamente. A pouca idade, ao que parece, dificulta o diálogo mais complexo e uma reflexão mais aprofundada. Por isso, os educadores procuram, constantemente, abordagens que possam ser mais significativas sem que deixem de abordar a reflexão e diálogo da realidade e temática local. Mas isso, se mostra um grande desafio diante da faixa etária mais lúdica das crianças que deve ser respeitada e aproveitada no processo de ensino/aprendizagem. Devido a isso, a construção e composição de um mural coletivo com unidade estética tem sido difícil. Talvez, devido ao individualismo pregado por um sistema capitalista separatista? Ou os(as) educandos(as) ainda não compreendem como compor os elementos estéticos de forma a construir uma unidade? Estas e outras várias questões surgem e se apresentam muito pertinentes para a melhora do processo de ensino/aprendizagem.


Esta oficina é resultado da parceria entre o Coletivo Fora de Frequência e o Bloco do Beco.





quarta-feira, 14 de março de 2012

Escola é Revitalizada




 A Escola Estadual Josefina Maria Barbosa, localizada no Jd. Alto da Riviera na Z/S de São Paulo, é revitalizada  depois da passagem do projeto Rua D'Arte e das intervenções promovidas pelo Coletivo Fora de Frequência. A revitalização da escola teve início em agosto de 2011, quando ocorreu a festa de abertura do projeto com seminário, oficinas culturais, apresentações musicais e intervenções de Graffiti de Binho (Z/N), Tito (Z/L), Grego (Z/S), Thiago Bender (Z/O) e Rafael Patrese (Taboão da Serra). Após a festa de abertura do projeto educadores e educandos(as) deram continuidade as intervenções artísticas através das  oficinas de Graffiti desenvolvidas no espaço arquitetônico da escola.
  Ainda durante a passagem do projeto, logo depois das primeiras intervenções na quadra esportiva, a escola fez uma pequena reforma tapando os buracos e providenciando nova pintura para o piso da mesma. O que não foi uma solução definitiva, já que a quadra precisa mesmo é de uma reforma geral, mas, deu cara nova ao ambiente. Nos primeiros meses do ano de 2012, a escola contratou uma empresa para ilustrar os muros, dando continuidade a revitalização da instituição escolar. Os muros da escola nunca foram ilustrados antes. Ou seja, a ação da escola se apresenta como desdobramento das intervenções de grafitagem iniciada pelo projeto Rua D'Arte no ano anterior. E, com isso, evidencia o alcance de alguns dos objetivos projetados pelo Coletivo Fora de Frequência e  relevância de suas ações para a comunidade.



quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A Presença Invisível de um Gigante Estrangeiro no Vale do Anhangabaú




Por Anderson Benelli
Imagem retirada do site oficial da dupla OsGêmeos
Na terça-feira, dia 14/02/2012, a obra  intitulada Estrangeiro da dupla OsGêmeos, intervenção feita no Vale do Anhangabaú durante as comemorações do ano da França no Brasil, foi apagada pela Prefeitura de São Paulo.
A dupla se pronunciou através de seu site oficial comunicando estar fora do país a trabalho e lamentando o fato. MAS, informando que já se sabia que a obra seria temporária desde o início, pois o edifício seria demolido. O que não desvalida o erro por parte da prefeitura o gigante só deveria sumir junto com o prédio, se este, realmente vir a ser demolido.
Por que apagar a obra se a mesma sumiria  junto com o prédio? Só pelo capricho de gastar o dinheiro público duas vezes sem necessidade?.

A gestão da prefeitura mais uma vez mostra sua imbecilidade. Já haviam apagado outro mural da dupla OsGêmeos, se não me engano em parceria com a Nina Pandolfo e Nunca, na Av. 23 de Maio, sob a desculpa de ter sido um engano por parte da empresa contratada. Na ocasião tiveram que pagar os autores do mural para fazer outra obra no mesmo lugar. Ou seja, a prefeitura pagou para apagar para depois pagar para refazer, gastando o dinheiro público duas vezes. 

A atual gestão, não só da cidade mas de todo estado de São Paulo, segue sua política higienista, apagando pixações e Graffiti, espancando estudantes na USP, doentes viciados na cracolândia, expulsando famílias de suas moradias de forma ditatorial e violenta em Pinheirinho e no Centro da cidade. E assim, negando o direito constitucional que garante, pelo menos no papel, um teto a essas famílias. Isso sem citar as favelas localizadas em áreas de especulação imobiliária que "misteriosamente" pegam fogo, como foi o caso da Favela do Moinho. 

Mas, o mais irônico disso tudo, é que, assim como não conseguem apagar o povo oprimido da cidade, pois este é a própria cidade. Não conseguiram apagar o gigante Estrangeiro. Pois, ele ainda está lá, bem mais feio é verdade, mas a silhueta CINZA ainda marca a sua presença invisível.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Produção de Stencil - Bloco Do Beco (Sedinha)


O propósito desta oficina é que os(as) educandos(as) vivenciem e aprendam todo o processo criativo da produção do Stencil partindo de imagens impressas. Porém, a pouca idade, abaixo da faixa etária proposta pelos educadores, impossibilitou o uso da ferramenta adequada, o estilete. Diante da pouca idade e a dificuldade da turma, talvez por ainda não apresentar a coordenação motora necessária para o manuseio da ferramenta, com exceção de um educando dentro da faixa etária apropriada. E pensando na integridade física dos(as) educandos(as). Os educadores decidem abrir mão do estudo da técnica do Stencil partindo para outra abordagem através do estudo de outras técnicas do Graffiti e suas diversas propostas estéticas.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012





A parceria entre o Bloco do Beco e o Coletivo Fora de Frequência leva as oficinas de Graffiti do projeto Rua D'Arte ao Jd. Ibirapuera, localizado nas proximidades do Jd. São Luís, na Zona Sul de São Paulo.

Confiram abaixo imagens da oficina onde os(as) educandos(as) tiveram o primeiro contato com uma das técnicas do Graffiti, o Stencil.


  














segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

De Volta a Atividade




Paloma em ação

A estudante de Arquitetura, Paloma Melo, aproveitou seu período de férias para visitar o Coletivo Fora de Frequência e conhecer melhor suas ações e membros. Em sua visita a estudante conheceu alguns membros do Coletivo, as dependências onde mantém sede provisória, algumas das atividades e oficinas culturais. Infelizmente, não pôde conhecer os(as) educandos(as) devido ao breve recesso nas oficinas culturais, para balanço do ano de 2011 e planejamento das atividades deste novo ano que promete novidades. 
Mas, em compensação, marcou a retomada das atividades do projeto Rua D'Arte vivenciando sua primeira experiência com o Graffiti e, pegando uns toques com nossos artistas/educadores, deixou sua marca intervindo no espaço da Escola Josefina, um de nossos parceiros. 
E para uma primeira intervenção ela já demonstrou facilidade e felicidade com o spray. O que pode significar que este pode ser o primeiro de muitos.

A Paloma veio, passou o dia e nos contagiou com sua alegria e energia positiva. Já é prata da casa e sempre será bem vinda. 


P.S. 
Obrigado pela visita.