quinta-feira, 7 de abril de 2011

PROJETO RUA D'ARTE

 Rua D’Arte, como sugere o nome, é uma oficina de arte de rua (street art) desenvolvida na região sul da cidade de São Paulo no destrito do Jd. Ângela. Este projeto tem o intuito de levar e agregar valores culturais ao cotidiano da comunidade e incentivar a produção artística da região, principalmente dos jovens e adolescentes entre 13 e 25 anos (e demais interessados).
 Graffiti de Ana Beatriz - 5 anos -
Técnica rolinho e tinta latex
O foco principal do projeto Rua D’Arte é o Graffiti, manifestação artística com a qual os jovens têm forte identificação por conter uma “linguagem” interdisciplinar e abordar temas urbanos, juvenis, protestantes, populares e contemporâneos. Mas esses jovens sofrem com a pouca informação sobre a história, técnica e conceitos dessa prática artística. Já que o Graffiti é pouco abordado nas escolas e a região sofre com a carência de centros culturais. E conta apenas com a casa de cultura da M’ Boi Mirim do Jd. Piraporinha que padece com a falta de verbas, recurso e apoio insuficientes de orgãos do Estado e Prefeitura de São Paulo.
Durante o seminário Poetas Escondidos, organizado pela produtora sociocultural A BANCA em parceria com o Centro Maria Mariá, ficou explicito quando a supervisora da Subprefeitura da M’boi Mirim, questionada por moradores sobre a falta de apoio, declarou “estar de mãos atadas já que não existe nenhuma verba destinada a cultura para região da Subprefeitura” com 587.228 habitantes (SIAB, Secretaria Municipal de Saúde, 2006).
O projeto RUA D’Arte procurando atender parte da demanda desses jovens propõe uma oficina que contextualize sobre a prática artística do Graffiti e a cultura de rua resultando em intervenções urbanas artisticas na região sul da cidade de São Paulo. Através de muros grafitados por educadores(as), artistas e educandos(as) como resultado de suas oficinas. Além destas intervenções artísticas o projeto oferece um workshop inaugural ministrado por um artista da velha escola (old school) do Graffiti brasileiro seguido de performance de Live paint (graffiti ao vivo) com entrada franca. O que propicia aos participantes o contato direto com o artista possibilitanto conhecer e aprender um pouco mais com seu processo criativo profissional. E além disso, propõe saídas culturais para o estudo do meio com uma visita ao famoso beco do Batman (Rua Gonçalo Afonso) na Vila Madalena reconhecido point do Graffiti brasileiro e uma visita  a uma exposição de Street art em galeria ou instituição cultural da cidade de São Paulo, ampliando os horizontes dos(as) educandos(as) e proporcionando uma análise comparativa.


Obs: este projeto é desenvolvido pelo Coletivo Fora de Frequência e foi selecionado pelo VAI 2011 da secretaria municipal de cultura de São Paulo. Neste ano as atividades terão início no mês de junho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário